Novidades

Entrevista com Jordane Boché, diretor do polo pedagógico do IFESP 

Pautado no que há de mais recente em termos de tecnologia e metodologia de ensino a distância, o diretor do polo pedagógico do IFESP, Jordane Boché, lidera a transição da equipe de instrutores de francês rumo ao digital learning. O Instituto constrói atualmente um time sólido em conhecimentos de ferramentas de ensino virtual, utilizando como modelo seus cases de sucesso, como a atual parceria com o Exército brasileiro para a formação dos militares na língua francesa. Na entrevista abaixo, Jordane explica as mudanças pelas quais o Instituto passa hoje e fala sobre os novos cursos preparatórios para os testes de proficiência do francês que foram lançados este ano, na modalidade 100% online.

 

O polo pedagógico prepara o lançamento de uma grande inovação quanto à estrutura do ensino de francês. Do que se trata?

 

JB – Gosto de resumir o processo pelo qual estamos passando através da seguinte frase: queremos atingir um enorme número de pessoas, zelando pela qualidade do ensino e eliminando fronteiras. Quando o IFESP começou, tínhamos apenas aulas presenciais, que logo evoluíram para o formato blended, ou seja, semipresencial, com parte do conteúdo em plataformas digitais. Agora estamos avançando para um novo patamar da nossa história: a modalidade 100% online.

 

E por qual motivo fazer a transição para o ensino 100% virtual?

 

JB – Além de uma adequação aos novos desafios da sociedade contemporânea, a demanda vinda de outras cidades, seja de São Paulo ou de outros Estados, aumenta a cada dia. Temos alunos de diferentes partes do país que já estudam conosco nessa modalidade, e eles ficam muito felizes de poder aprender francês virtualmente, pois, muitas vezes, sequer há escolas de língua em suas cidades. A ideia agora é ampliar nossa oferta. E isso vale inclusive para a cidade de São Paulo: é uma metrópole tão imensa, com tanta correria no cotidiano, que as pessoas já não têm tempo ou condições de se deslocar após o trabalho até o instituto de línguas.

 

Quais novidades serão adotadas em termos de ferramentas de digital learning?

 

JB – Iniciamos uma grande mudança nos últimos meses com a adoção do Adobe Connect em nossas aulas, o que fez toda a diferença. O Adobe Connect é um programa de formação, e não apenas de comunicação, pois possui dezenas de recursos de interatividade, como o compartilhamento de diversas telas simultâneas, deixando uma lousa branca à disposição dos alunos, um caderno de notas que o instrutor envia por e-mail ao final da aula e a gravação da sessão que pode ser revista até 4 vezes. Tudo isso permite que o aluno se concentre melhor e participe mais da aula.


A atual parceria com o Exército brasileiro contribuiu para a composição desse modelo de aula?

 

JB – Sem dúvida! Hoje temos mais de 300 militares que aprendem francês com o IFESP através de encontros virtuais semanais, utilizando nossas salas do Adobe Connect, além das plataformas das quais já dispúnhamos. Desde que ganhamos a licitação aberta pelo Exército brasileiro, o IFESP se aprimorou no conceito de digital learning e aprendemos bastante, levando em consideração as sugestões e críticas de nossos alunos. Estamos em constante adaptação, o que é muito importante para uma empresa que busca dinamismo e excelência.

 

Como funcionam essas plataformas digitais e quais cursos oferecem?

 

JB – Nossa escola virtual já existe há certo tempo, mas agora será turbinada. A principal plataforma é o site cursosdefrancesonline.com.br, onde os alunos encontram centenas de vídeos, áudios, quizes e exercícios interativos. Com isso, o tempo de aprendizado não se limita às horas de aula com o instrutor, o que permite um progresso rápido. Esse é o ponto central: nossos alunos evoluem de forma acelerada e sólida. Além dos cursos-padrão de francês em todos os níveis, a plataforma oferece formações específicas, como de vocabulário da gastronomia francesa, do turismo ou do mundo dos negócios, dentre outros cursos. Também desenvolvemos cursos preparatórios para os testes de proficiência do francês, como o DELF B1 e B2 – e, já no início do próximo semestre, lançaremos os cursos online DALF e TCF.

 

E esses cursos se destinam também a empresas?

 

JB – Sim, há empresas que procuram o IFESP com o intuito de proporcionar uma formação em francês aos seus colaboradores. Nós temos capacidade total de adaptação para elaborar um plano de estudos que se adeque às necessidades da empresa, oferecendo uma formação 100% personalizada. Estamos de olho no que já existe no mercado para que possamos oferecer o que há de melhor aos nossos alunos.

AddThis Social Bookmark Button



Assine nossa Newsletter

*Ao inserir seus dados nesta página, você concorda que o IFESP, se utilize dos dados pessoais fornecidos, para envio de informações a respeito de eventos, produtos e serviços, comprometendo-se o mesmo ao sigilo e proteção da privacidade dos visitantes.

EVENTOS


 

 

DEPOIMENTOS

Achei a orientação bastante completa. A busca por estudos no exterior exige inúmeros cuidados e muita atenção. Senti-me bastante confortável com a riqueza de detalhes e de informação que são compiladas e passadas aos alunos por vocês. Além do mais, através da orientação, quebrei meu preconceito de que fazer uma pós na França era um sonho inatingível. Obrigado, Caio Prado

Caio Prado
Orientação Acadêmica
Nov 11, 2013